Inspiração para escrever – 12 Dicas sobre onde encontrar

Publicado por Vilto Reis em

Inspiração para escreverInspiração para escrever – onde encontrar?

O escritor Jack London dizia:

“Não podemos ficar à espera da inspiração. Temos de ir procurá-la num bar.”

Mas a verdade é que podemos encontrá-la em muitos outros lugares. E não devemos usá-la como desculpa para não escrever.

Ficar sentado esperando a musa chegar não é um bom caminho para o escritor. Não é assim que a criatividade funciona. Pior ainda é ficar choramingando sobre falta de talento. Não resolve nada.

Se está faltando inspiração para escrever, aí vai uma lista de onde encontrar:

 

1) Escritores que você detesta

Sim, você leu certo. Escritores que você detesta. Principalmente, aquela sinopse que você lê e não faz o mínimo sentido.

Por quê? Pois parte do desejo de ser escritor nasce de uma reflexão. Se eu contasse esta história, poderia fazer melhor. Certo?

Então ler escritores que você detesta pode ajudá-lo a encontrar o tipo de coisa que você gostaria escrever.

 

2) Vida alheia

Calma. Não estou falando para você se alimentar de fofoca. Apenas para prestar atenção às pessoas ao seu redor.

Não importa onde você estiver, sempre dá para espionar. A cada diálogo que você ouve, ou trecho dele, é possível imaginar mil tramas, planejar uma história e escrever.

Portanto, ouviu uma conversa curiosa? Anote. Pois pode ser a inspiração que você vai precisar lá na frente.

 

3) Exercícios

(Quando você acha que vai fugir da ideia de “vida saudável”, acaba encontrando isso até em um site para escritores. Fazer o quê?).

A ideia aqui é muito simples. Ao nos exercitarmos, usamos nosso corpo em outro modo. Deixamos que ele gaste energia. E, dessa forma, enquanto focamos em outras coisas, nossa mente continua trabalhando. Até mesmo une ideias e conceitos que intencionalmente não teríamos conseguido.

Duvida? É só pensar quantas vezes você teve alguma ideia lavando louça ou fazendo qualquer outro trabalho manual.

 

4) Sonhos

Não vou entrar na discussão do significado dos sonhos. Tampouco se prestar atenção neles ajudará você no autoconhecimento.

Mas fato é que os sonhos têm muito a nos ensinar como escritores.

Eles não obedecem a lógica da realidade. E vivem nos inserindo em reviravoltas incríveis, partindo de ideias que podem soar absurdas.

Ou seja, uma bela injeção de criatividade.

 

5) Parentes estranhos

Este é um dos meus preferidos.

Todo mundo tem aquele parente com manias, coisas estranhas, ou que conta as histórias mais esquisitas. E os escritores são quem mais ganham com isso.

Algumas vezes, os tais parentes podem virar personagens. Outras vezes, ao soltar aquela pérola, provocarão uma fagulha em nossas mentes.

 

6) A arte de outros artistas

Se você nunca escolheu um quadro para inspirar uma história sua, não sabe o que está perdendo.

Afinal de contas, ver a arte de outros artistas amplia nossas possibilidades de ideias. Uma obra de Pablo Picasso, por exemplo, pode nos inspirar e ajudar a escrever.

Não necessariamente precisa ser algo clássico. Por que não se inspirar em artes de sites como o DeviantArt? Ou em quadrinhos ou em animes?

O importante é estar aberto a novas referências.

 

7) Mundo Estranho e outras revistas

Particularmente, sou muito fã do trabalho da revista Mundo Estranho. É impossível não pensar em milhares de histórias ao ler as matérias deles. Cheias de curiosidades e fatos estranhos.

Da mesma forma, você pode encontrar e situações em outras revistas e jornais. Ou até mesmo chegar a assuntos que podem chamar sua atenção. Mas é preciso sempre estar a caça.

O escritor é um caçador de ideias.

 

8) Em Shakespeare e nos gregos

Lá vem os clássicos de novo, certo?

Não é isso. Digo para buscar inspiração em Shakespeare e nos gregos porque está tudo lá.

Se você procurar por personagens marcantes e profundamente humanos, encontra. Metáforas inesquecíveis, encontra também. Reviravoltas? Muito mais do que você dá conta.

Logo, qual fonte poderia ser melhor?

 

9) Memórias pessoais

Somos construídos a partir de nossas experiências e como reagimos a elas.

Isso é tão importante para um escritor que é necessário se debruçar sobre essas memórias. Em Como escrever um conto, Gabriel García Marquez aconselha a só escrever ficção quem escreveu todas as suas memórias.

Agora você sabe por onde começar.

 

10) Crianças e sua visão de mundo

Como acabei de ser pai, não poderia deixar essa de fora.

Você já viu como um criança vê o mundo? Principalmente, como ela “experiencia” tudo pela primeira vez? É uma curiosidade nata. De experimentação. Algo que vamos perdendo conforme vamos crescendo.

Entretanto, o escritor precisa disso. Precisa narrar como se reinventasse o mundo. E, assim, produzir sua ficção.

 

11) Associação livre

Ferramenta de terapia criada por Freud, também pode ser usada por escritores.

Muitas das vezes, não sabemos e não conhecemos os caminhos que nossa mente toma. Ou, pelo menos, gostaria de tomar.

Então basta tomar um caneta e começar a escrever. Todas as palavras que passarem por sua cabeça. Faça isso por uma página, por exemplo. Depois, analise.

Muitas ideias podem surgir daí. Se não acredita, experimente!

 

12) Música e poesia

Tanto uma como a outra possuem muito a ensinar para quem deseja escrever prosa. Por exemplo: a beleza das imagens, fluxo, estilo, uso de ritmo e jogo de palavras.

Se isso não fosse o suficiente, deixar tocando uma música enquanto escreve pode inspirar. Basta deixar se levar pelo embalo e escrever.

***

Então como encontrar inspiração para escrever?

Estes são apenas alguns caminhos para se obter inspiração para escrever. Existem muitos outros.

Mas também há muita gente procurando inspiração para escrever. Portanto, não seria nada mal se você compartilhasse este texto.

E se você tiver alguma sugestão, basta deixar nos comentários e ajudar outras pessoas!

Categorias: Listas

Vilto Reis

VILTO REIS é autor de Um gato chamado Borges, livro finalista do Prêmio SESC 2015, e da monografia As teorias narrativas de Hitchcock aplicadas à Psicose. Tem contos publicados nas revistas Pulp Fiction, Flaubert, Raimundo, Pluriversos e no portal hispânico CuentoColectivo. Faz leituras críticas de originais e atua como coaching literário. Também é idealizador do site Homo Literatus, além de apresentador do podcast 30:MIN e de inúmeras séries de vídeos no Youtube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *